Notícias

A+ A A-

02/09/2019

Mercado eleva para 0,87% a previsão do crescimento do PIB em 2019

Compartilhe nas redes sociais  

 Os analistas do mercado financeiro voltaram a elevar a previsão de crescimento da economia em 2019, segundo dados divulgados pelo Banco Central (BC) nesta segunda-feira (2). Já a previsão para inflação caiu pela quarta semana consecutiva.

Segundo dados do relatório, conhecido como Relatório Focus, a previsão de crescimento do PIB em 2019 passou de 0,80% para 0,87% e a de inflação passou de 3,65% para 3,59%.

As projeções constam no boletim de mercado conhecido como relatório "Focus", divulgado nesta segunda-feira (26) pelo Banco Central (BC). O relatório é resultado de levantamento feito na semana passada com mais de 100 instituições financeiras.

Para 2020, o relatório divulgado pelo BC manteve a previsão de crescimento da economia em 2,1%. A previsão para 2020 é similar à que o governo divulgou na proposta de orçamento de 2020.

Na proposta de orçamento para o ano que vem, divulgada na última sexta (30) pelo Ministério da Economia, a previsão de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) é 2,17%.

Já a previsão de inflação para 2020 ficou mantida em 3,85%. Para 2021, a previsão de alta do PIB foi mantida em 2,50% e a previsão da inflação, em 3,75%.

Taxa de juros

Na última semana, os analistas do mercado financeiro mantiveram a previsão da Selic para o final de 2019 em 5% ao ano. Com isso, o mercado indica esperar mais cortes na taxa básica de juros em 2019. Atualmente a Selic está em 6% ao ano, mínima histórica.

Para o fim de 2020, a estimativa do mercado financeiro para a Selic é de 5,25% ao ano.

Câmbio, balança e investimentos

Os analistas ouvidos pelo relatório Focus voltaram a elevar a projeção da taxa de câmbio para 2019, 2020 e 2021. Para o fim de 2019, a projeção passou de R$ 3,80 por dólar para R$ 3,85.

A previsão do dólar para o fechamento de 2020 subiu de R$ 3,81 por dólar para R$ 3,82. Já a previsão para 2021 subiu de R$ 3,85 para R$ 3,88.

Para o saldo da balança comercial (resultado do total de exportações menos as importações), em 2019, os analistas reduziram a previsão de superávit de US$ 52,85 bilhões para US$ 52,35 bilhões.
Para o ano que vem, a estimativa dos especialistas do mercado passou de US$ 49 bilhões para US$ 48,73 bilhões.

A previsão do relatório para a entrada de investimentos estrangeiros diretos no Brasil, em 2019, ficou estável em US$ 85 bilhões. Para 2020, a estimativa dos analistas subiu de US$ 84,36 bilhões para US$ 84,68 bilhões.

Fonte: 

Voltar Imprimir

Preencha o formulário e atualize o seu cadastro no CORECON.