Notícias

A+ A A-

09/05/2019

Economia perde fôlego no início de 2019

Compartilhe nas redes sociais  

A recuperação do setor, assim como a do restante da economia brasileira, segue em ritmo lento, com um nível de consumo ainda bem abaixo do período pré-recessão.

Os primeiros meses do ano têm sido marcados por uma perda de força da recuperação econômica em meio a uma frustração de expectativas de empresários e percepção de que a tramitação da reforma da Previdência deverá levar mais tempo do que o inicialmente esperado.

Uma série de indicadores têm mostrado uma perda de ritmo da economia e uma maior fraqueza da atividade econômica e do mercado de trabalho.

A produção industrial, por exemplo, caiu 1,3% em março, pior resultado desde setembro, e acumulou queda de 0,7% no 1º trimestre, na comparação com o 4º trimestre de 2018. Já a taxa de desemprego subiu para 12,7% em março, atingindo 13,4 milhões de brasileiros.

As estimativas para o crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) em 2019 também vêm sendo reduzidas e parte dos analistas avalia que, no primeiro trimestre, a economia brasileira deve ter ficado estável ou pode até mesmo ter recuado levemente na comparação com últimos três meses de 2018.

De acordo com a última pesquisa Focus do Banco Central, os economistas dos bancos reduziram novamente a estimativa de alta do PIB e, pela primeira vez, passaram a estimar crescimento abaixo da marca de 1,5% para este ano, após alta de 1,1% em 2018 e em 2017.

Fonte: G1

Voltar Imprimir

Preencha o formulário e atualize o seu cadastro no CORECON.